Paulo Ricardo e Guilherme Isnard se apresentam no palco, na década de 80

“Você não é autor dessa composição, Paulo Ricardo”, diz Guilherme Isnard

Eduardo Maia

Guilherme Isnard, vocalista, compositor e fundador da banda paulista Zero, que começou a popularizar, de certa forma, a New Wave no Brasil em meados da década de 80, gravou alguns vídeos no Instagram, acusando o vocalista Paulo Ricardo — ex-RPM — de ter pego o hit Agora Eu Sei, sem autorização do próprio Guilherme e de ter regravado e reproduzido a canção ao vivo, no Rock In Rio, em seu show, à convite do DJ Beowülf.

A declaração foi realizada através da ferramenta Storys, do Instagram. Nos vídeos, Guilherme, que aparece muito nervoso, diz que os artistas do rock brasileiro “comem” uns aos outros e que, por isso, o Rock se encontra em decadência.

— É o seguinte, Paulo Ricardo. Essa canção tem dois autores. Guilherme Isnard e Freddy Haiat. Paulo Ricardo não é compositor dessa música, ela não é do RPM. Você fez backing vocal nesta música.

Em outro momento, Guilherme ainda diz que estava realmente puto, pois o músico não mandou um e-mail ou WhatsApp pedindo qualquer autorização para executar o famoso hit da banda Zero.

Banda Zero posa para foto na década de 80; banda popularizou a New Wave no Brasil
Foto: Reprodução
Banda Zero

Em contrapartida, Paulo Ricardo, que também comentou a respeito do caso, disse que ele quis aproveitar o momento de tocar no Rock in Rio para mostrar ao vivo para as pessoas a nova versão da música, produzida por Beowülf. Ele ainda alega que jamais lançaria comercialmente a canção sem avisar ao Guilherme.

Confira o vídeo:

Relembrando a parceria

Agora Eu Sei, da banda Zero, faz parte do primeiro disco da banda, que leva o nome de Passos No Escuro (1985). Para a música, na época, Guilherme convidou Paulo Ricardo, então vocalista e baixista da hiper banda RPM, para cantar. Depois disso, eles gravaram um clipe. Apesar de muita gente não saber, a música não é do RPM ou de Paulo, e sim da banda Zero. Confere o clipe e se sinta naquela vibe New Wave dos anos 80.

Apesar dessa parceria sensacional, em uma música atemporal que, em minha visão, não precisa ser regravada para ser “trazida aos anos 2000”, parece que as relações entre Guilherme e Paulo ficarão estremecidas. Infelizmente, não é novidade, devido ao retrospecto que o cantor traz com seus próprios companheiros do RPM.

É tudo uma grande pena, levando em consideração a história de Paulo para a cena do Rock Nacional. Vamos torcer para que, no final, tudo dê certo. Lembrem-se, a música eletrônica não salva, o rock, como é representado por Agora Eu Sei, esse sim nos salva, amigos.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *